terça-feira, 2 de julho de 2013

A FELICIDADE ESTÁ EM NOSSA UNIÃO COM DEUS (Lc 6.20-23)

INTRODUÇÃO
Todo ser humano almeja ser feliz. Todos procuram de alguma forma encontrar felicidade para o seu viver. Muitos se propõem a encontrá-la usando até meios ilícitos.
No entanto, Jesus, com sua insondável sabedoria, oferece a “receita” eficaz para quem quiser não apenas ser feliz, mas felicíssimo.


I – DESCREVENDO A FELICIDADE.
  1. Definindo felicidade.
  1. Segundo o Dicionário Aurélio, felicidade é a qualidade ou estado de ser feliz, de ventura, de contentamento, bom êxito, sucesso, boa fortuna, sorte.
  2. É bem verdade que a felicidade plena e ininterrupta será alcançada somente no céu. No entanto, neste mundo, é possível termos “momentos” felizes sempre que conseguimos realizar ou desfrutar bem ou apropriadamente, algum feito.
  3. No entanto, o próprio Jesus declarou que o homem poderá alcançar a verdadeira felicidade, se estiver disposto a obedecer aos seus ensinamentos.
2) A felicidade como efeito.
  1. A felicidade a que Jesus se refere, vem de dentro, vem da alma, do interior. Tal felicidade é considerada como um efeito, isto é, como algo produzido por uma causa.
  2. Essas causas são, pois, as condições essenciais, isto é, as obrigações, os deveres a serem cumpridos, para se obter o direito de fazer parte do reino de Deus e, consequentemente, alcançar a felicidade.
3) A felicidade duradoura.
  1. Jesus exorta a se colocar m prática as regras de conduta que Ele mesmo propõe. Então, a felicidade poderá ser experimentada já aqui na terra e, em continuação, perpetuamente no céu.

II – A FELICIDADE ESTÁ NA SUPERAÇÃO DAS LUTAS E DIFICULDADES.
    1. A vida do cristão é marcada por constantes desafios e provações.
  1. Um dia o crente ganha, outro dia perde, mas todos os dias ele vence.
  2. À medida que se depara com perdas, vai se tornando cada vez mais capaz de vencer, aprende com os erros e atinge o ideal bíblico de amadurecimento.
  3. A felicidade está ao alcance de todos os que estão decididos a lutar, crescer e vencer (Hb 10.36-39).
    1. Na trajetória do cristão sempre haverá percalços (dificuldades).
  1. Na trajetória do cristão sempre haverá riscos, mas valerá a pena corrê-los, pois a pior coisa na vida é não arriscar.
  2. Se não tentarmos, com medo de errar, certamente não erraremos. Mas também perderemos a chance de acertar, de crescer e vencer (Sl 37.23,24).

III – TRILHANDO O DIFÍCIL CAMINHO DA FELICIDADE.
    1. Nesta vida, ninguém amadurece sorrindo.
  1. É indispensável que corramos o risco de descobrir até onde somos capazes de chegar.
  2. Ninguém amadurece sorrindo, nem se aprende a andar de bicicleta sem levar alguns tombos. O pior de todos os erros é não aprender com eles (Ec 12.1-7).
    1. Deus sempre nos dará suficiente graça nos momentos difíceis.
  1. Não podemos nos preocupar com o caminho a ser percorrido nem com os desafios a serem superados, apenas devemos colocar os nossos pés na estrada e perseguirmos os sonhos de Deus para as nossas vidas.
  2. Deus pôs dentro de nós algo muito além do que podemos, até agora imaginar (Ef 3.20). Trata-se de um potencial que precisa ser trabalhado, desenvolvido e desfrutado.
  3. Mas para que isto aconteça, precisamos de ousadia, precisamos seguir o exemplo de fé de Abraão      (Gn 12.1-5).




IV – DEUS COLOCOU EM NOSSO CORAÇÃO O DESEJO PELA FELICIDADE.
    1. A felicidade que o mundo oferece não passa de simulação.
  1. São incontáveis as pessoas que se julgam infelizes (Ec 2.1,17). Tentam agir de modo descontraído, mas esta alegria não passa de simulação.
  2. São pessoas oprimidas que se escondem atrás de risos, mas que mal conseguem disfarçar o brilho de suas lágrimas. No fundo da alma, há um rio de tristeza, ansiedade e frustração.
    1. Luxo, sem Deus, é lixo.
  1. Dinheiro não é garantia de felicidade. Não são poucos os ricos que dariam toda sua fortuna por um pouco de paz e tranqüilidade.
  2. Há ainda pessoas que se suicidam, na sã tentativa de se livrarem de seus paradoxos existenciais, que o dinheiro jamais foi capaz de livra-los (Lc 12.13-21).

V – SÓ CRISTO TRAZ REAL E DURADOURA FELICIDADE.
    1. A felicidade não está no “ter”, mas no “ser” uma nova criatura.
  1. A felicidade não está apenas dentro de nós nem fora de nós, mas sim em nossa união com Deus             (2 Co 5.17).
  2. Na busca da riqueza está presente o desejo da felicidade. Mas a fatalidade é que a posse nos faz escravos e nos leva para mais longe ainda da tranqüilidade.
  3. Só em Deus é que experimentamos a verdadeira felicidade (Jo 7.37,38).
    1. Só depois que encontramos a Deus é que somos, de fato, felizes.
  1. Em toda a sua vida, o homem esteve à procura da felicidade.
  2. Primeiro a buscou na relação com uma mulher, depois na filosofia, na ciência, no êxito, na amizade. Só depois que encontrou a Deus é que seu coração encontrou a felicidade (Jo 10.10b).
    1. Os cristãos terão toda a eternidade para ser felizes em Deus.
  1. Nosso coração estará sempre inquieto enquanto não encontrar a felicidade em Deus.
  2. Não seremos felizes enquanto não encontrarmos Deus e permitirmos que Ele ocupe o primeiríssimo lugar em nossa vida (Lc 1.38).

CONCLUSÃO

Então, se você quer ter uma vida feliz, tenha Jesus como o Senhor da sua vida. Jesus disse: “Eu vim para que tenha vida, e vida com abundância”. Então, seja feliz ao lado do Senhor Jesus Cristo.